Browsing Category

Inspiração

Escrito, Inspiração

Agora ou Nunca

*Para se ler pausadamente ao som de Off I Go de Greg Laswell.

As pessoas passam muito tempo focadas no futuro. Planejando-o, trabalhando por ele. Mas, em algum momento, começamos a perceber que a vida está acontecendo agora. Não é depois da faculdade ou após o matrimônio, é AGORA, nesse exato instante. Mas o passado parece tão mais inebriante, que somos arrastados de volta até ele em questão de segundos, sem nenhum tipo de resistência. E o futuro nos soa tão promissor, que nos perdemos em meio ao roldão de devaneios dentro de nossas pequenas cabeças. O momento presente parece não existir. Parece ser algo distante e utópico. Destruímos nosso momento presente com ruminações passadas e futuras. Enjaulamos nossa sensibilidade num frasco e dizemos para nós mesmos que está tudo bem em ser uma pessoa fria, negligente, e egoísta perante aqueles que estão a nossa volta. Nossos interesses é que tem que estar em primeiro lugar. O emprego dos sonhos, o aparência perfeita, o namorado incrível, o carro do ano e por aí vamos…

Priorizamos o superficial e esquecemos o essencial. Empurramos nossos valores para debaixo do tapete ou para dentro de uma lata de lixo e ensaiamos nosso melhor sorriso de contentamento. Porque o seu “EU” é prioridade máxima. Seu ego é quem manda, quem dita as regras. Mas não demora muito para perceber que as aparências também são passageiras e esquecidas. Varridas pelo tempo.

E então, você já disse? “Eu te amo”, “Você é importante para mim”, “Eu me inspiro em você”, “Você mudou a minha vida”. Você já disse? Não, não disse. Porque sua mente não vive no aqui e agora. Você não está acordado. 

Faça um planejamento. Se fixe num objetivo. Trabalhe por ele. Mas, de vez em quando, olhe ao seu redor. ENXERGUE. PERCEBA. Porque a vida é isso. E amanhã, tudo pode ser nada.

É isso aí, está acontecendo. E se a gente piscar os olhos, já foi.

Escrito, Inspiração

Queda, Cura e Ascensão

“Eu estou morto? Ou esse é um desses sonhos? Aqueles sonhos horríveis que parecem que vão durar para sempre? Se estou vivo, por que? Se existe um Deus ou algo parecido, que seja, em algum lugar, porque fui abandonado por todos e por tudo o que eu conhecia? Eu já amei? Esquecido. Qual é a lição? Qual é o sentido? Deus, me dê um sinal, ou eu tenho que desistir. Não posso mais fazer isso. Por favor, deixe-me morrer. Viver dói demais.” — Kesha

 Essas palavras que vou lhes confidenciar gora, podem soar como algum tipo de desabafo. Eu não me importo mais com esse tipo de julgamento, enxergue como quiser. O mais importante é saber que eu estou canalizando os meus sentimentos de desesperança e depressão severas para superar os obstáculos e encontrar forças em mim mesmo, ainda que meu ânimo esteja abalado. Este escrito é também sobre vir a sentir empatia por outra pessoa, até mesmo por aquelas te machucaram ou te prejudicaram gravemente. É sobre aprender a se orgulhar das suas cicatrizes, da pessoa que você está se tornando ou de quem você já é, mesmo nos momentos mais difíceis e baixos da vida, quando se sente realmente sozinho e sem forças. É sobre esperar que TODOS, mesmo alguém que te feriu profundamente, possa encontrar a paz e a libertação.

Descobri recentemente que meu modo de vida e a maneira como eu enxergava as coisas era um lugar de paz inalcançável. Eu sei que nunca fui abandonado por meus amigos, minha família e meus colegas, mas quando você está deprimido — realmente, verdadeiramente deprimido — você sente que não tem nada dentro de si, se sente oco, vazio. Mesmo tendo um apoio muito forte das pessoas ao meu redor nas minhas horas mais sombrias, ainda não era suficiente para me trazer para a luz. É nesses momentos em que os mais hipócritas e orgulhosos entre nós são forçados a recorrer a algo além de si mesmo — nos voltamos para a oração, ou algo assim. Você olha além da sua vergonha, do seu desejo de esconder o conflito, e admite que você precisa de ajuda. Para mim, Deus não é um homem barbudo sentado nas nuvens ou um tirano homofóbico julgador que espera enviar todos a condenação eterna. Deus é a natureza, o espaço, a energia e o universo. Minha própria interpretação da espiritualidade não é importante, porque todos nós temos a nossa. O que importa é que eu tenho algo maior do que a mim mesmo como uma força que me ajuda a trazer a paz e o equilíbrio.

Está é uma das razões pelas quais eu adoro escrever, ficar mergulhado no infinito das palavras simplesmente me ajuda a relaxar, a extravasar a tensão. É  a minha maior forma de rendição ao universo, uma oração de corpo e alma. Eu falo sobre escrever porque é como eu canalizo meus sentimentos e emoções, é como eu crio, mas talvez para você o processo possa se dar através de algo diferente, como artes, música, meditação, dança, jogos, tecnologia, projetos pessoais, projetos colaborativos ou qualquer outra coisa. O que importa é a canalização do que você sente: do medo, da injustiça, da crise, do que está te consumindo por dentro, enfim. Sendo construtivo e não destrutivo — o que importa é que seja um processo de cura e não de eutanásia. Isto é sobre encontrar a paz no fato de que você não pode controlar tudo — porque tentar controlar tudo e a todos estava me matando. Trata-se de aprender a deixar ir e perceber que o universo está no controle do nosso destino, e não a gente.

Arrastei-me para fora da cama e passei meus conflitos para o papel. É a partir de nossos momentos mais sombrios que ganhamos o máximo de força. Já havia tantos dias, meses até, que eu vinha vivendo em uma neblina, desejando não me levantar da cama pela manhã, passando os dias acompanhado de uma fadiga e sobrecarga mental pesadas. E quando finalmente chegava a noite e eu adormecia, era acometido por pesadelos terríveis, em que eu acordava afobado e em pânico no escuro. Nunca estive em paz, noite ou dia. Mas eu arrastei-me para fora da cama e canalizei minhas emoções, trabalhando-as firmemente, transformando-as e resumindo-as nas palavras que você lê agora.

Espero que minha mensagem atinja as pessoas que estão no meio de suas lutas, para que saibam que não importa o quão ruim possa parecer agora, você pode passar por isso. Se você tem amor e fé ao seu lado, você nunca será derrotado. Não desista de você. Uma hora hora você vai perceber aquele momento em que o sol começa a aparecer sob as nuvens de tempestade mais sombrias, criando o arco-íris mais bonito. E uma vez que você perceber que você está bem de novo, vai querer espalhar o amor e a cura.

Se você sentir que alguém o magoou, livre-se desse ódio, porque isso só criará mais negatividade. Uma coisa que me traz grande alívio é rezar por essas pessoas. Ficar irritado e ressentido não fará nada além de aumentar seu próprio estresse e ansiedade — e o ódio é o combustível que produz os vírus que atacam sua alma. Não deixe ninguém roubar sua felicidade!

Nos últimos 3 anos, cresci como uma pessoa forte e independente. Eu percebi através dessa longa jornada de altos e baixos que, se eu tive a sorte de ter uma voz que as pessoas escutem, então eu deveria usá-la para a verdade.

Eu luto diariamente com a depressão e ansiedade intensa, um transtorno de estresse implacável e todas as outras besteiras básicas que podem ser acarretadas por um ser humano. Eu sei que não estou sozinho nessa batalha. Encontrar forças para se expor sobre essas coisas não é fácil, mas eu quero ajudar outros que estão passando por momentos difíceis em suas vidas.

Posso dizer que eu fiquei abençoado e honrado por ter ao meu lado muitas pessoas incríveis que me ajudaram a atravessar o oásis de minha aflição, me ajudando a perceber a visão benéfica desse processo. Obrigado a todos por esse passo gigante. Isto é apenas o começo. Posso dizer agora que estou mais leve, feliz e grato por começar e compartilhar toda a dor contida aqui dentro. Eu escrevi esse registro, que revela minhas vulnerabilidades, para mostrar que há uma força muito forte em nossas fraquezas e apoiar e incentivar outros como eu. No passado, sempre senti como se estivesse tentando provar algo, tentando ser alguém que achava que as pessoas queriam que eu fosse, mas nesse registro, estou apenas falando a verdade sobre minha vida. Isto sou eu. As palavras mais reais e sinceras que eu já criei, e agora é o meu presente para você. Espero que você goste disso. Obrigado por não desistirem de mim. Nós fizemos isso. Eu amo muito todos vocês.

 

Escrito, Inspiração

“Testemunha”

[Relato inspirado na “convivência” real, tendo também como base uma observação profunda e apurada do comportamento de um ex-penitenciário que, pelo simples capricho do acaso, ou seria mais correto dizer Deus?!, fez com que cruzássemos os mesmos caminhos por um breve período de tempo.] 

De certo que, apesar do otimismo e simpatia assombrosos, havia algo de errado em seu olhar, algo que não era o brilho de suas pupilas quando o efeito das substâncias químicas invadiam seu cérebro, não, era algo mais, uma outra coisa, algo que eu podia perceber no imediato instante em que me deparava com sua presença. Seu olhos tinham um ar de quem tinham presenciado e vivenciado um profundo sofrimento. E apesar do fingimento que ele oferecia para si e para os outros, sua alma o traía, resvalando a verdade através do aspecto selvagem de seus olhos castanho-escuros, carregados com suas pupilas dilatadas, negras como piche. Uma expressão tão poderosa que me assaltava e me sugava como se fossem poderosos redemoinhos. Se ele fosse uma casa, uma de suas janelas estaria quebrada, e a porta, escancarada. Parecia que ele tinha sido arrombado e roubado.

Vivia a maior parte do tempo entorpecido por doses severas de álcool. Para ele, beber era como apertar sua própria bomba de morfina. Um método adotado depois dos horrores vividos na selva do cárcere. Ao que parece, esse comportamento se assimilava mais como uma doutrinação ás avessas, uma forma que encontrou para “sobreviver”, uma maneira que achou para não enlouquecer de vez. E uma vez que, experimentado de tal regojizo, não conseguiu mais parar. Acho que na cabeça dele, não tinha acabado. Ainda estava acontecendo. As cenas se repetindo como se fossem uma fita cassete infinita, com o botão do replay sendo estuprado e atolado para dentro do controle remoto. Condenado eternamente a tortura mental e psicológica.

A impressão que dava, era que sua mente tinha literalmente quebrado, e que ele estava tentando desesperadamente encontrar um meio de consertá-la, de achar as respostas certas para sua própria charada, enquanto que, ao mesmo passo, lutava arduamente para manter um pé na realidade.

Posso falar todas essas coisas porque fui uma das poucas testemunhas que realmente se deu conta do que se passava na cabeça daquele homem, da guerra que estava sendo travada no interior de sua mente, uma guerra que ele estava perdendo com muita facilidade. Seu lado racional estava deteriorando rapidamente e sendo massacrado pelo seu lado irracional violentamente e sem nenhuma piedade.

Aquele homem necessitava de um merecido descanso dele mesmo, se é que isso faz algum sentido para você. Pois qualquer um que se esforçasse um pouco, poderia ver que aquela alma moribunda andava fazendo horas extras revivendo inconscientemente seus traumas. Não era preciso ser nenhum especialista para notar que aquele homem foi esfolado vivo emocionalmente, decapitado e crucificado de cabeça para baixo, assim como o apóstolo Bartolomeu, de acordo com várias lendas, mas apenas de forma metafórica no mundo moderno de hoje e agora.

Talvez meu maior ressentimento, tenha vindo do fato de que não havia muito que eu pudesse fazer para ajudá-lo na época. O que eu poderia fazer, senão sentar e ouvir? Estar presente. De qualquer forma, eu me esforcei solenemente e ofereci minha profunda e sincera compaixão. Ainda assim, espero que tenha sido suficiente.

Então depois de muito refletir e pensar, eu decidi escrever algo que relatasse o privilégio de ter conhecido uma pessoa tão assombrosa e rica quanto você. Porque apesar de minha descrição acima soar um pouco pesada, exagerada e insana, pude perceber também que sua loucura estava banhada em luz. Só alguém que andou pelas ruas pavimentadas do inferno, pode realmente saber o significado de sentir a dor no seu aspecto mais puro e real. Espero que aonde quer que você esteja, encontre a paz.

Uma homenagem a Alex Moreira Cajé, um amigo e companheiro que me ensinou que o humor, a fé e a perseverança são as chaves certas para lutar contra o desespero e a negatividade presentes em nosso dia-a-dia.

Escrito, Inspiração

“Sinta a Dor”

Eu nunca fiz terapia nem tomei remédios, mas não tenho nada contra. A verdade é que muitas coisas aconteceram comigo, coisas boas e ruins. E eu precisaria de muitas palavras para explicar, mais palavras do que sou capaz de dizer.

Nunca fui uma pessoa violenta nem nada do tipo, embora conservasse uma revolta e inquietação ferrenha dentro de mim. Em segredo, sempre estive lidando com a depressão e ansiedade em meu interior. Sim, eu passo por crises de depressão e oscilações de humor regularmente, acho que é por isso que eu vejo o mundo por um ângulo diferente de como a maioria das pessoas vê. Também sou muito sensível.

No bairro em que cresci e do qual eu passei a maior parte de minha infância e adolescência, essas não eram características dignas de serem exibidas, de modo que as escondi por um longo tempo em minha vida. Eu fingia que não era quem eu era e, quando alguém tentava se aproximar de mim, eu escondia e não falava sobre isso abertamente. Em um bairro do qual eu fiz parte, você não fala abertamente sobre essas coisas. Houve momentos nos quais eu sentia que não tinha lugar pra mim no mundo. Muitas vezes, me sentia uma aberração ou um pária, embora eu fosse realmente bom em me integrar e interagir com as pessoas ao meu redor.

Eu achava vergonhoso falar de meus sentimentos e achava vergonhoso me sentir da forma como eu me sentia. Minha adolescência acabou sendo muito confusa e com bastante carga emocional por causa disso. Eu reprimia e ocultava o que sentia, porque pra sociedade ter sentimentos é uma coisa anormal. Pra sociedade não é bom que você ande por aí deprimido e cabisbaixo. Você logo virá um alvo fácil de críticas e julgamentos dos mais diversos e absurdos. Pra sociedade não é bom que você fale sobre esses assuntos, porque tudo que você tem que fazer é ser uma ovelha e obedecer. Fazer parte do rebanho. Vestir seu sorriso mais convincente e fingir descaradamente que está tudo bem, que não tem nada de errado.

Existe uma necessidade muito grande no mundo de se falar mais abertamente sobre esses assuntos, sobre doenças mentais. Porque se você parar e observar as pessoas na rua, você vai notar que quase todo mundo está no mesmo barco. Vai perceber os tiques nervosos, os olhares assustados, os passos apressados rumo a lugar-nenhum revelando a ansiedade intensa. E se você se esforçar um pouquinho mais, poderá notar também como é forte o ruído mental na cabeça de todas essas pessoas. Você cairá em si e verá que há muitos outros indivíduos lutando contra essas doenças o tempo todo. Daí a nossa urgência de ter mais conversas sobre esse assunto, porque muita gente tem estes problemas e se identifica bastante com esse tipo de temática, só se sentem um pouco inibidas para se abrirem de primeira. 

É interessante e desafiador falar sobre doenças mentais; e não estou me limitando aqui somente a doenças já popularmente conhecidas como a depressão e a ansiedade, mas a qualquer tipo de emoção conflitante que te impeça de aproveitar o momento PRESENTE, assim como ele é, livre de julgamentos, porque pode nos levar a um inicio de uma importante conversa; e é um ótimo ponto de partida para as pessoas dizerem “eu também”, o meu irmão, ou minha irmã, ou minha mãe. Em algum momento todo mundo se identifica.

Na maior parte do decorrer da vida, as pessoas percebem que há algo de errado com elas e com o mundo, mas preferem ignorar. Eu acho que de vez em quando devemos nos presentear com um belo de um tapa na cara, como quem diz: “Ei louco, acorde!”. Precisamos nos forçar a ver que não estamos felizes, que estamos levando uma vida morna e deprimente, que temos problemas sérios de ansiedade e que realmente não estamos vivemos da forma que queremos. Isso é uma coisa muito difícil de admitir, mas temos que fazer, não há outro jeito. Acredito que se você quer alcançar a verdade, você tem que estar vulnerável. Se você quer crescer, se quiser descobrir quem você é, se quiser crescer emocionalmente, você tem que ser vulnerável. Tem que admitir que está fragilizado e começar a trabalhar. É nosso dever pegar tudo que está dando errado e fazer dar certo. Devemos tentar de qualquer forma. Porque é pela sua rachadura que a luz penetra em você. Então, dê uma chance a nós, os desajustados. Dê uma chance pra si mesmo, porque como eu disse antes, estamos todos no mesmo barco.

Escrito, Inspiração

CARTA A JUDAS

Ei, caro Judas…

Sabia que ainda o “malham” no sábado de aleluia?

Tem um monte de gente que o critica dois mil anos depois,

mas não perde a chance de ganhar

um quinhão para se dar bem.

Você tem que vir e explicar que o que fez,

estava escrito que faria.

Como seria a história se não tivesse obedecido

a imposição do seu Pai?

Você foi pressionado, parece-me.

Poderia ter escolhido não fazer.

Mas fez. Problema seu. Pagou.

As pessoas dos séculos que vieram não entenderam.

No séc. XXI ainda não compreendem bem isso.

Querem seguir seu exemplo, e o superam muito.

O ouro hoje é de quantidade imensurável.

Suas trinta moedinhas são nada,

perto do vil metal a que se apegam seus seguidores.

Hoje seriam seus chefes.

Você não entende nada de barganha e ganância, Judas.

Precisa vir aprender aqui. Em muitas igrejas.

Você não imagina o quanto se ganha

em nome do homem que você “traiu”.

Músicas, shows, bênçãos recebidas, souvenires…

Precisa lembrar-lhes de que você beijou porque amava,

devolveu as moedas, arrependeu-se (tarde demais)

e cometeu suicídio pela vergonha do que fez.

Hoje, nestes casos, não o cometem.

Se o fizessem, seria porque perderam o metal,

e o vazio do bolso lhes sufocou o pescoço.

Mas não. Não cometem suicídio.

Não têm por que. Prosperam muito.

Tudo em nome Daquele que você trocou

por trinta malditas moedas de prata.

Sinto muito, Judas.

Você não beira aos pés dos novos mercadores de Jesus.

Se visse, iria suicidar-se de novo.

Inspiração, Moda

TENDÊNCIA: 5 Modelos de Bermudas em alta pra 2017

Oi… Tudo certo com vocês? Hoje vou falar sobre Moda Masculina, vamos começar? Sabemos que as tendencias estão em constantes mudanças, e as principais transformações acontecem nas trocas de temporadas. Mesmo assim, você sabia que o calor permanece em muitas regiões, tem alguém do Nordeste ai? A região do nordeste é a que mais sofre com o calor diariamente e devido a isso, tende a deixar a calça de lado e partir para as Bermudas Masculinas.

Portanto, decidi reunir alguns modelos de Bermuda Masculina que está em alta em 2017. Neste post você irá pegar várias dicas e inspirações. Separei 5 modelos de Bermudas que esta em alta para esse ano.

O que você acha de se inspirar na Bermuda Estampada, a Bermuda Jeans Rasgada ou em Tom Terroso, até mesmo com a Barra Dobrada?

Toda vez que o inverno chega, você pode ter certeza que os tons terrosos estarão em alta. Essas cores são tons de marrom que se aproximam muito da frieza do inverno. No geral, são cores bem secas e com certa rispidez.

As Bermudas Rasgadas são usadas mais no verão e certamente está em alta. Tem lugares como no Nordeste que elas permanece por longo tempo, devido o calor prolongado. Uma moda que pegou e promete permanecer por muito tempo.

A Bermuda Jogger em Moleton está em alta, esse modelo é mais solto, diferente da moda de Bermudas assentadas que tivemos antes, e com elástico nas barras. Ela tem uma origem na dança de rua e subcultura norte-americana, mas ganhou o mundo todo.

As estampas florais masculinas cresceram muito nos últimos tempos e ficou ainda mais forte neste ano. Elas estão tão fortes que saíram das camisas e invadiram as mais diferentes peças, trazendo com tudo a bermuda floral. Apesar dessa popularização, a maior parte dos homens ainda tem medo de apostar nesse estilo. Isso porque têm medo de parecerem aqueles turistas do GTA, mas você pode usar essa peça em diferentes ocasiões sem perder o estilo.

As Bermudas com Barra Dobrada também entra para a lista de 2017. Elas estão nos armários masculinos há alguns anos e continuam ganhando cada vez mais espaço na moda jovem. Elas criam um estilo descontraído, jovem e elegante.

E então… O que achou da tendência das Bermudas que logo logo estarão em alta aqui no Brasil?

 

Decoração, Inspiração, Online

Conheça a loja online Encadree Posters

A procura de mudar a decoração da sua casa? No post de hoje apresento a vocês a loja online Encadree Posters que foi feita especialmente para pessoas que procuram inspirações especiais para embelezar salas e quartos, fazendo um trabalho simples, bonita e descomplicada.

A Encadree traz uma infinitas de possibilidades de combinações e estilos possíveis para o visual de uma casa. Assim que você visitar a loja online certamente não irá faltar ideias para preencher espaço por toda a sua casa.

A loja fornece produtos com um valor bem baixo e na compra acima de 250,00 reais o frete sai totalmente grátis. O melhor de tudo isso é que, na compra com o cartão de credito é possível parcelar em até 5x sem juros.

Para conhecer a coleção toda, visite a loja Encadree Posters fique ligados em novos lançamentos. 

Escrito, Inspiração

Cheios de lava derretida

Sabe o que eu nunca vou entender, o porque das pessoas se matarem lentamente, vivendo diariamente se auto-sabotando-se. Meu palpite é que estamos todos muito perdidos, sabe. Não fazemos ideia do que fazer, de como seguir em frente, de qual forma é mais decente e digna de se viver. Queimando por dentro. Achamos que o cigarro, o álcool e as drogas irão preencher o vazio, mas nos enganamos, essas coisas só nos entorpecem por um limitado período de tempo. Depois é preciso algo mais, como encarar problemas que tanto varremos pra debaixo do tapete, cara a cara. As coisas não somem se você finge que elas não existem. Elas permanecem lá, ocultas no escuro, esperando uma oportunidade de se mostrarem, de mostrarem os dentes. E se a gente não tiver coragem o suficiente para enfrentar nossos medo, então, acabamos por nos tornar submissos a eles.

É como dizem por aí: “O carrossel nunca para de girar, não se pode sair.” A gente cresce cresce e percebe que em algumas ocasiões é horrível ser adulto, que não é nada do jeito que a gente sonha quando se é criança e deseja que o tempo passe rápido o bastante para que possamos ser independentes e livres do pesadelo de viver dentro das limitações que nossos pais nos impõem.

A verdade meu caros, e que todo mundo cresce em determinado momento, mas nem todos amadurecem. Porque amadurecer leva tempo e prática. E nós, que nos tornamos seres humanos complexos e impacientes a medida que o mundo prossegue, desejamos tudo pronto de imediato numa bandeja ao nosso alcance, sem mais delongas. E aí de quem ousar nos contrariar! Nem tudo está ao nosso alcance. É preciso humildade para reconhecer que os eventos da vida, interiores e exteriores também têm um papel importante, uma forte influência em nossas escolhas. Mas não enxergamos isso, não é? Pois é. E é por não enxergar que vamos nos preenchendo de tudo um pouco, tentando desesperadamente tapar a sensação de vazio que nos corrói peito adentro, forçando as circunstâncias, insaciados, loucos insanos querendo sempre mais.

Ás vezes nos sentimos vazios por dentro. Mas talvez o que se sinta não tenha nada a ver com a ausência de algo, e sim com o excesso. Cheios, sobrecarregados, como uma taça que se encheu demais. Preste atenção, veja bem se você não se tornou um acumulador, não de objetos, é claro. Isso todos nós somos, mas de sentimentos, ideias e suposições paranoicas que já não lhe servem mais e não param de lhe tirar o sono á noite, de amores falidos a esperanças e expectativas mal alimentadas, de ressentimentos não digeridos á sonhos não concretizados, e por aí vai… Dê uma espiada e veja se os os fins justificam os meios.

É, acho que agora eu entendo. Ainda que nãos seja nada justificável pra mim, mas acho que entendo.

Escrito, Inspiração

Não é como nos filmes

Acabei de assistir a um filme chamado “Jovens Adultos“, no qual a divorciada e escritora Mavis Gary (Charlize Theron) retorna para sua cidade natal no estado de Minnesota, nos Estados Unidos, disposta a reconquistar seu ex-namorado, Buddy Slade (Patrick Wilson). Acontece que ele, atualmente, está casado com Beth (Elizabeth Reaser) e acaba de ganhar uma filha. Mesmo assim Mavis não desiste de sua tentativa frustrada de conquistá-lo, já que acredita que Buddy na verdade está infeliz e quer retornar para a mulher dos seus sonhos, que no caso, é ela (ou pelo menos é isso que ela pensa).

É um dos filmes que eu recomendo, já que é livre daquela tola fantasia emocional de filmes clichês americanos em que tudo se encaixa e termina perfeitamente bem no final. Acredito que filmes assim, fazem nossas vidas melhores. Pois são os que mais se aproximam da realidade em que vivemos, da qual as coisas nem sempre terminam da maneira como idealizamos em nossas inocentes e frágeis cabecinhas. Estamos tão acostumados com “finais felizes” vistos em filmes por ai que vivemos relutantes em aceitar que algumas vezes nós perdemos, e perdemos feio.

No filme, Mavis interpreta todos os gestos e expressões de seu confidente por quem guarda profunda amor e admiração como “sinais” devido a estar profundamente obcecada pelo seu objeto de desejo que no caso é Buddy. Ainda é possível ver no filme que Mavis tenta desesperadamente conter suas emoções com a busca desenfreada por álcool, chegando até ficar dependente em certo ponto. Sim, ela assume essa posição no filme e se auto-intitula uma alcoólatra nata. As coisas só pioram quando Mavis descobre que Buddy nãos sente nada em relação a ela, há não ser uma pequena margem de afeto e admiração devido a eles terem sido bastante amigos e até namorados por um longo período no ginásio. Ela se recusa a aceitar isso no inicio, mas logo cai em si e se dá conta que precisa se reinventar e seguir em frente, que não há reciprocidade amorosa vinda do Buddy e não há nenhuma chance de ela tê-lo em sua vida tão conturbada.

Mavis finalmente aceita a dor e para de alimentar sua ilusão tosca e  Há vários outros detalhes e fatos interessantes no filme que eu, confesso, me identifiquei muito, mas não vou descrever aqui porque acredito que algum leitor vá assistir ao filme depois e não quero ter contado tudo para não estragar o desenrolar da trama num só post.

Não sou nenhum pessimista que abomina finais felizes nem nada. Só passei a ter mais preferência por filmes e livros que se aproximem ao máximo da realidade, sem muita idealização ou exagero. A vida é dura, e nós temos que saber o quão difícil ela pode ser. Sei que todos nós desejamos que nossas vidas fossem um filme de sessão da tarde, em que apesar de todos os empecilhos e dificuldades encontrados no meio do caminho, conseguiremos prevalecer e viver sem mais dores de cabeça.

A verdade é que ás vezes as coisas não acabam bem, e temos que ser fortes o bastante para mudar o rumo de nossas vidas. Claro que é essencial conservar otimismo, humor e esperança, mas estou falando do fato de sermos um pouco mais realistas e não nos permitir sermos levados tanto pelos nossos sentimentos. O que mais tarde vai resultar em uma profunda bola de neve que não para de crescer nunca, já que nossos sentimentos e impulsos são difíceis de serem saciados assim tão facilmente. É mais parecido como colocar lenha na fogueira, alimentando e fazendo cada vez mais um fogo que você luta pra apagar.

Aceitar que perdemos, que não foi o caminho certo, que não foram boas escolhas, que o amor pode falhar é o primeiro passo para enxergar o problema um pouco mais com clareza e redirecionar o rumo de sua vida. Aceite! Algumas coisas nunca vão sair da forma como você imagina. Pra falar a verdade a maioria delas. E quando isso acontecer, mude a página, vire o capítulo, tente algo novo dando tempo a si mesmo pra se adaptar as suas novas escolhas e para que o passado, em determinado momento se torne apenas passado. Pare de esperar seu final feliz e seja eterna e diariamente seu próprio final feliz. Porque todo dia algo morre e nasce em você, no íntimo do seu ser. E também porque todo dia é dia de recomeçar.

Inspiração, Musicas

Playlist da Semana

O que acha de começar a semana ouvindo músicas de tirar você do chão? espantar mau humor matinal e energizar ouvintes para batalha do dia a dia. Há canções que são melhores do que outras para levantarmos da cama motivados e com energia. Pelo menos é o que diz a ciência.

Estou compartilhando com vocês minha Playlist favorita dessa semana. Verão Forever junta canções que vai deixar de lado o mal humor e mostrará o lado bom da vida. Divirta-se

Tem dicas de alguma música ou playlist? Me manda pelo nossa Pagina que prometemos compartilhar com a turma do 17 Outra vez.

Powered by themekiller.com